PRÊMIO NOBEL DA PAZ E A CADEIRA VAZIA DE LIU XIAOBO

O ódio pode corromper a inteligência e a consciência de uma pessoa.  A mentalidade inimiga envenena o espírito de uma nação, incita batalhas cruéis letais, destrói a tolerância e a humanidade de uma sociedade e impede o progresso de uma nação rumo à liberdade e à democracia“. Palavras de Liu Xiaobo lidas no momento da cerimônia da entrega simbólica do Prêmio Nobel da Paz 2010.

Aconteceu hoje, na Noruega, a entrega dos prêmios Nobel a personalidades que se destacaram nos campos da arte, ciência, política. O Prêmio Nobel foi criado pelo inventor da dinamite, Alfred Nobel. O Nobel da Paz é um dos cinco Prêmios Nobel, juntamente com os prêmios destinados aos eleitos nas áreas de física, química, fisiologia/Medicina e Literatura. Todos os anos a mídia internacional volta suas lentes para a capital sueca, Estocolmo, para a entrega desses prêmios. Já o prêmio Nobel da Paz é atribuído em Oslo. O Comitê Nobel norueguês, cujos membros são nomeados pelo Parlamento norueguês. A função de escolher o laureado pelo prêmio. Conforme seu criador o prêmio Nobel da Paz deveria ser entregue “a pessoa que tivesse feito a maior, ou melhor, ação pela fraternidade entre as nações, pela abolição e redução dos esforços de guerra e pela manutenção e promoção de tratados de paz”.
Havia uma cadeira vazia para o laureado com o Prêmio Nobel da Paz. Trata-se de Liu Xiaobo, um homem idealista que defende, no regime ateu e autoritário chinês, a democracia, a liberdade de expressão e de pensamento.
Conforme a agência de notícias AFP, “Liu Xiaobo foi uma das principais figuras do movimento democrático da Praça da Paz Celestial de 1989. Em dezembro de 2009 foi condenado a 11 anos de prisão por “subversão ao poder do Estado”, depois da publicação da “Carta 08”, texto do qual foi um dos autores e que pedia a democratização da China”. Liu Xia, esposa de Liu Xiabo, está em prisão domiciliar desde o anúncio do Nobel da Paz em 8 de outubro, sem qualquer acusação oficial contra ela. Maran Turner, conselheiro jurídica de Liu desabafou: “Infelizmente, porque o governo continua detendo ilegalmente o casal Liu, eles não poderão unir-se a nós em Oslo para celebrar esta grande honra“.
Em 109 anos de história do Nobel da Paz, esta é a segunda vez que o prêmio não pode ser entregue ao vencedor ou a um representante: Durante o regime da Alemanha nazista, o pacifista Carl von Ossietzky, premiado em 1936 pelo ano de 1935, não pôde receber o Nobel porque estava detido em um campo de concentração. Esses regimes merecem essa infeliz sincronia!

CHINA:  PROGRESSO E OPRESSÃO A CRISTÃOS

O regime chinês, ressentido com a honra concedida a um dissidente: “A China bloqueou o acesso aos sites da BBC, CNN e outros órgãos de informação internacionais. O site do Comitê Nobel norueguês foi igualmente bloqueado. Também as emissões televisivas das duas candeias televisivas, captadas em muitos hotéis e condomínio de Pequim, são interrompidas cada vez que os apresentadores dos noticiários se referem ao Nobel da Paz” – essa é a noticia que circula nos países ocidentais.
Portas Abertas, site cristão que divulga violação de direitos, restrição religiosa, prisão, tortura e outras formas de perseguição em países sob regime ditatoriais traça o perfil atual da população chinesa: “Mais de 90% da população é alfabetizada. Embora a China seja uma das economias que mais crescem no mundo, 130 milhões de chineses estão abaixo da linha de pobreza, e a renda per capita anual é inferior a US$ 500. A população chinesa atual tem sido formada por uma geração mais jovem que não conheceu a Revolução Cultural, e também por uma população rural cada vez mais descontente. As vítimas de exploração e abuso do poder têm se tornado mais conscientes dos seus direitos, tanto humanos como legais. Além dessas coisas, o aumento de desastres naturais e ocupacionais também preocupa o governo. Mais da metade dos chineses dizem não ter religião. Da outra metade, 36,6% professam crenças locais e o budismo. Os cristãos são estimados em 11% aproximadamente”.
O site Portas Abertas revela uma situação poucas vezes revelada pela mídia internacional: “A perseguição ao cristianismo abrange desde multas e confisco de Bíblias até destruição de templos. Evangelistas são detidos, interrogados, aprisionados e torturados. Além da perseguição governamental, as tentativas de evangelizar muçulmanos no extremo noroeste do território chinês têm enfrentado resistência e alguns ataques. As leis religiosas que entraram em vigor em 1º de março de 2005 aumentaram a pressão sobre grupos não-registrados, exigindo que se legalizassem ou se preparassem para sofrer as conseqüências. Além disso, em vez de facilitar o registro, novas emendas dificultaram o processo. As Olimpíadas 2008 afetaram, de certo modo, o modo de o governo lidar com a Igreja. As medidas de segurança introduzidas nessa época foram tão bem-sucedidas que o governo pode decidir-se por continuar a utilizá-las por tempo indeterminado. Nesse período, a repressão a reuniões de igreja não-oficiais e aos seus líderes aumentou em muitas províncias, bem como o número de relatos de estrangeiros sendo detidos ou deportados. O ano de 2008 foi marcado por detenções em massa de membros de igreja e processos contra pastores”.
O pastor Zhang Mingxuan foi preso diversas vezes por forças do Comitê de Segurança Pública em ocasiões antes e depois dos Jogos Olímpicos, a fim de impedi-lo de ter contato com a imprensa estrangeira. Sua família também foi oprimida: seu filho foi brutalmente agredido e, enquanto o pastor estava ausente de casa, sua esposa foi despejada.
Na província de Zhejiang, mais de 400 universitários cristãos foram detidos e interrogados em uma única operação policial. Nas províncias de Shandong e Henan, cem cristãos foram presos, sem acusações.
Outro caso ainda em andamento é o do pastor Zhang Rongliang, da Igreja não-oficial. O veredicto foi dado no dia 29 de junho de 2005. Rongliang é um líder chave do “China para Cristo“. Ele foi detido pela polícia de Henan, sem acusações, no dia 1º de dezembro de 2004. Apenas um mês depois ele foi acusado de “obter passaporte através de fraude” e de “travessia ilegal de fronteira”. As autoridades chinesas sempre negam passaportes a líderes famosos de igrejas não-registradas. Rongliang já foi detido cinco vezes e passou um total de 12 anos na prisão por suas atividades religiosas. Ele também foi o co-autor de uma “Confissão de Fé” da Igreja não-oficial, escrita em 1999, para pedir clemência a uma ampla opressão do governo a movimentos de “seitas”. Depois de sua prisão, as autoridades confiscaram DVDs cristãos e outros materiais em sua casa que estariam ligados a cristãos estrangeiros. Ter contato com religiosos estrangeiros pode ser uma atividade ilegal na China. O Pastor Rongliang sofre de cinco doenças crônicas, incluindo pressão alta e diabetes, confirmadas em um diagnóstico oficial em 2005. Após ter sido transferido diversas vezes de várias prisões, por causa de suas enfermidades, ele está na prisão em Kaifeng. Em 2006, ele sofreu um derrame e o supervisor da prisão, que gostava muito dele, o enviou imediatamente para o hospital para que fosse submetido a tratamento. Ele melhorou, mas ainda sente dormência nos dedos de uma das mãos e em um pé. Sua esposa pode visitá-lo duas vezes por mês. Ele tem pregado o evangelho na prisão e batizado novos convertidos, além de ministrar a Santa Ceia dentro da prisão. Criminosos perigosos estão entre seus companheiros. Um deles, que fora um assassino, foi completamente transformado depois de receber as boas-novas. O homem escreveu à mãe para dizer: “Mãe, quando eu morrer no pelotão de fuzilamento, irei à sua frente e a esperarei no céu. Você precisa aceitar a Jesus como seu Salvador, da mesma maneira que eu aceitei; então poderemos nos encontrar de novo“.
O espantoso progresso econômico chinês se deve, em grande parte, ao regime de semi-escravidão por parte da grande maioria de trabalhadores rurais e operários – ganhando até menos de US 100,00 (cem dólares) por mês. Muitos brasileiros, atraídos pelos preços baixos de produtos chineses, acabam comprando – às vezes por contrabando – produtos de qualidade duvidosa, fortalecendo a economia do dragão chinês.
Nesta sexta-feira, 10.12.2010, ” A alta-comissária das Nações Unidas (ONU) para os Direitos do Homem apelou, esta quinta-feira, à libertação do Nobel da Paz, Liu Xiaobo, «o mais rápido possível“.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s