MANIFESTO PRESBITERIANO SOBRE LEI DA HOMOFOBIA

O Salmo 1, juntamente com outras passagens da Bíblia, mostra que a ética da tradição judaico-cristã distingue entre comportamentos aceitáveis e não aceitáveis para o cristão. A nossa cultura está mais e mais permeada pelo relativismo moral e cada vez mais distante de referenciais que mostram o certo e o errado. Todavia, os cristãos se guiam pelos referenciais morais da Bíblia e não pelas mudanças de valores que ocorrem em todas as culturas.
Uma das questões que tem chamado a atenção do povo brasileiro é o projeto de lei  [PL122] em tramitação na Câmara que pretende tornar crime manifestações contrárias à homossexualidade. A Igreja Presbiteriana do Brasil, a Associada Vitalícia do Mackenzie, pronunciou-se recentemente sobre esse assunto. O pronunciamento afirma por um lado o respeito devido a todas as pessoas, independentemente de suas escolhas sexuais; por outro, afirma o direito da livre expressão, garantido pela Constituição, direito esse que será tolhido caso a chamada lei da homofobia seja aprovada.
A Universidade Presbiteriana Mackenzie, sendo de natureza confessional, cristã e reformada, guia-se em sua ética pelos valores presbiterianos. O manifesto presbiteriano sobre a homofobia, reproduzido abaixo, serve de orientação à comunidade acadêmica, quanto ao que pensa a Associada Vitalícia sobre esse assunto:

“Quanto à chamada LEI DA HOMOFOBIA, que parte do princípio que toda manifestação contrária ao homossexualismo é homofóbica, e que caracteriza como crime todas essas manifestações, a Igreja Presbiteriana do Brasil repudia a caracterização da expressão do ensino bíblico sobre o homossexualismo como sendo homofobia, ao mesmo tempo em que repudia qualquer forma de violência contra o ser humano criado à imagem de Deus, o que inclui homossexuais e quaisquer outros cidadãos.
Visto que: (1) a promulgação da nossa Carta Magna em 1988 já previa direitos e garantias individuais para todos os cidadãos brasileiros; (2) as medidas legais que surgiram visando beneficiar homossexuais, como o reconhecimento da sua união estável, a adoção por homossexuais, o direito patrimonial e a previsão de benefícios por parte do INSS foram tomadas buscando resolver casos concretos sem, contudo, observar o interesse público, o bem comum e a legislação pátria vigente; (3) a liberdade religiosa assegura a todo cidadão brasileiro a exposição de sua fé sem a interferência do Estado, sendo a este vedada a interferência nas formas de culto, na subvenção de quaisquer cultos e ainda na própria opção pela inexistência de fé e culto; (4) a liberdade de expressão, como direito individual e coletivo, corrobora com a mãe das liberdades, a liberdade de consciência, mantendo o Estado eqüidistante das manifestações cúlticas em todas as culturas e expressões religiosas do nosso País; (5) as Escrituras Sagradas, sobre as quais a Igreja Presbiteriana do Brasil firma suas crenças e práticas, ensinam que Deus criou a humanidade com uma diferenciação sexual (homem e mulher) e com propósitos heterossexuais específicos que envolvem o casamento, a unidade sexual e a procriação; e que Jesus Cristo ratificou esse entendimento ao dizer, “desde o princípio da criação, Deus os fez homem e mulher” (Marcos 10.6); e que os apóstolos de Cristo entendiam que a prática homossexual era pecaminosa e contrária aos planos originais de Deus (Romanos 1.24-27; 1Coríntios 6:9-11).
A Igreja Presbiteriana do Brasil MANIFESTA-SE contra a aprovação da chamada lei da homofobia, por entender que ensinar e pregar contra a prática do homossexualismo não é homofobia, por entender que uma lei dessa natureza maximiza direitos a um determinado grupo de cidadãos, ao mesmo tempo em que minimiza, atrofia e falece direitos e princípios já determinados principalmente pela Carta Magna e pela Declaração Universal de Direitos Humanos; e por entender que tal lei interfere diretamente na liberdade e na missão das igrejas de todas orientações de falarem, pregarem e ensinarem sobre a conduta e o comportamento ético de todos, inclusive dos homossexuais.
Portanto, a Igreja Presbiteriana do Brasil reafirma seu direito de expressar-se, em público e em privado, sobre todo e qualquer comportamento humano, no cumprimento de sua missão de anunciar o Evangelho, conclamando a todos ao arrependimento e à fé em Jesus Cristo”.
Rev. Dr. Augustus Nicodemus Gomes Lopes
Chanceler da Universidade Presbiteriana Mackenzie”

Campanha institucional anti-drogas, num dos edificios do Mackenzie

PERFIL DA UNIVERSIDADE MACKENZIE, 140 ANOS

Para o leitor ter uma idéia mais aprofundada da Instituição publicamos abaixo informações importantes, cuja fonte é o site oficial do Instituto Mackenzie, mantenedor da Universidade:

VISÃO – Ser reconhecida pela sociedade como instituição confessional presbiteriana, filantrópica e de perfil comunitário, que se dedica às ciências divinas e humanas; caracterizando-se pela busca contínua da excelência em ensino, pesquisa e extensão; primando pela formação integral do ser humano, em ambiente de fé cristã reformada.
MISSÃO – Educar o ser humano, criado à imagem de Deus, para o exercício pleno da cidadania, contribuindo para o desenvolvimento do ser e da sociedade, por meio de ensino, pesquisa e extensão, e de atividades culturais, esportivas, sociais e espirituais, em ambiente de fé cristã reformada.
VALORES E PRINCIPIOS – Na conduta pessoal: dignidade, caráter, integridade e espírito mackenzista; No relacionamento interpessoal: lealdade, respeito mútuo, compreensão, honestidade e humildade;
No exercício da atividade profissional: ética, competência, criatividade, disciplina, dedicação e disposição para o trabalho voluntário;
No processo de decisão: busca de consenso, de justiça, de verdade, de igualdade de oportunidades para todos; No relacionamento entre órgãos colegiados, unidades e departamentos: cooperação, espírito de equipe, profissionalismo e comunicação adequada; No relacionamento com outras instituições: responsabilidade, independência e transparência;
Na sociedade: participação e prestação de serviços à comunidade;
E, em todas as circunstâncias, agir com amor que é o vínculo da perfeição.

PERFIL INSTITUCIONAL 

O Mackenzie, desde 1870, mantém o compromisso de oferecer formação integral aos seus alunos, não somente na ação pedagógica, mas também no desenvolvimento do cidadão ético que entende a solidariedade como elemento indispensável de seu dia-a-dia.
Presente hoje em seis cidades brasileiras, São Paulo, Barueri (Tamboré), Campinas, Brasília, Rio de Janeiro e Recife, proporciona aos seus mais de 40 mil alunos a oportunidade de permanecerem na mesma instituição de ensino desde a Educação Infantil até a Pós-Graduação, em níveis de especialização, mestrado e doutorado, dando ênfase especial à produção de pesquisas acadêmicas. Por essa razão é reconhecida como uma das universidades que mais contribuem para o desenvolvimento científico do País.
Todos os cursos de graduação oferecidos pela Universidade têm formas de aproximar o aluno da prática de sua rotina profissional. Para que a infra-estrutura seja adequada às metas de cada um deles, o Mackenzie investe incessantemente na constante qualificação de seus docentes, na atualização de bibliotecas, na manutenção de laboratórios primorosamente equipados e na eficaz ampliação de banco de dados. Para a manutenção de seu caráter confessional, o Mackenzie conta com serviços de Capelania e promove eventos e literatura que integram os princípios da fé cristã reformada com a Academia. Além de ser uma entidade confessional, o Mackenzie é também uma universidade comunitária, com ações educacionais e de caráter social.
O Mackenzie oferece aos alunos e à comunidade projetos, cursos, prestação de serviços, eventos e registro de produtos acadêmicos, nas áreas de direitos humanos, educação, meio ambiente, saúde, tecnologia e trabalho, entre outros, por meio de uma série de programas como os desenvolvidos pelos Centro de Rádio Astronomia e Astrofísica (CRAAM), Centro de Línguas Estrangeiras (CLEM), Editora Mackenzie, Bibliotecas, Centro de Rádio e Televisão TV (CRT), Laboratório de TV Digital, Departamento de Arte e Cultura (DAC), Centro Histórico, Juizado Especial Cível e Juizado Especial da Empresa de Pequeno Porte e Micro Empresa.
Os Colégios Presbiterianos Mackenzie preparam o aluno para a vida, contribuindo para o desenvolvimento do ser e da sociedade, estimulando a racionalização e reorganização da sua experiência cotidiana, proporcionando condições para que a criança se expresse e se comunique de diversas maneiras com o mundo que a cerca. Todo processo de ensino e aprendizagem é alicerçado em princípios cristãos baseados no amor.

História

A história do Instituto Presbiteriano Mackenzie teve início na São Paulo de 1870, em meio ao franco desenvolvimento econômico proporcionado pelas exportações cafeeiras. Em contraste com essa fase desenvolvimentista, na época, cerca de 80% da população brasileira eram consideradas analfabetas. Preocupados com esse quadro, os Chamberlain, um casal de missionários presbiterianos americanos, decidiram organizar uma escola que apresentasse uma proposta pedagógica inovadora, como classes mistas, incentivo ao esporte e aceitação de qualquer aluno, sem nenhum tipo de preconceito. Assim, teve início a história desta que, meses adiante, seria batizada de Escola Americana.
A Instituição foi atraindo cada vez mais alunos, desde crianças nascidas em famílias tradicionais até filhos de escravos. Em 1876, dois cursos foram acrescentados à grade escolar: Escola Normal e Filosofia. Em 1878 foi inaugurado o Jardim de Infância e, no final da década, com mais de 200 alunos, a escola foi transferida para um terreno de 4,7 mil m”, onde poucos anos depois já abrigava os cursos de Preparatórios e de Comércio. Desde cedo, os valores e conceitos da fé cristã reformada eram ensinados em conjunto com a busca de excelência no ensino.
Em 1894 foi colocada a pedra fundamental da Escola de Engenharia Mackenzie, a primeira faculdade privada de Engenharia do País. A Instituição, que passou a ser chamada de Mackenzie College, crescia rapidamente. Nos anos que se seguiram, foram inaugurados os cursos de Engenheiro Químico, Engenheiro-Arquiteto, Engenheiro Eletricista, Engenheiro Mecânico-Eletricista e Aplicações Militares. Em 1926 foi inaugurada a biblioteca e em 1927, o ginásio de esportes. Na década de 1930 foi criado o pré-primário – complementar ao Jardim de Infância – inauguradas as faculdades de Filosofia e Letras, Arquitetura e Ciências Econômicas, o que preparou a base para a inauguração da Universidade Mackenzie, em 1952. No ano seguinte foi implantada a Faculdade de Direito.
No início dos anos 1960, o Mackenzie cria o Grupo de Radioastronomia e, em 1967, inaugurava o Centro de Radioastronomia e Astrofísica Mackenzie (CRAAM), integrado à Escola de Engenharia. Suas atividades em pesquisas e pós-graduação foram pioneiras no Brasil, nas áreas de radiociências, incluindo radioastronomia, física solar, relações solares-terrestres, física da ionosfera, astrofísica, instrumentação radiocientífica e ciências espaciais. O Centro mantém importantes parcerias com entidades como CNPq, FAPESP, Escritório Norte-Americano de Ciência para a América Latina, BNDE-FUNTEC, FINEP, agências estrangeiras como NASA, NOAA e CONICET (Argentina).
No início dos anos 1970, o Mackenzie cria a Faculdade de Tecnologia; em 1976, tem início a Faculdade de Comunicação e Artes. No ano seguinte, a diretoria do Instituto Mackenzie adquiriu um grande terreno na região de Barueri, região metropolitana de São Paulo, onde foram construídas as instalações do Colégio Presbiteriano Mackenzie Tamboré. No começo da década de 1990, a Universidade apresentava os cursos de pós-graduação Lato Sensu; alguns anos depois deu início aos cursos Stricto Sensu. No final dos anos 1990, implantou os cursos de Jornalismo, Ciência da Computação e a Escola Superior de Teologia. Nessa mesma década, iniciou a construção de uma sede do Colégio Presbiteriano Mackenzie na cidade de Brasília. Em 2008, abre as primeiras turmas de Administração de Empresas e Direito em Campinas (SP).
De lá para cá, muito foi investido na então Escola Americana, até se tornar o que hoje chamamos de Instituto Presbiteriano Mackenzie, entidade confessional e comunitária, cujas ações são educacionais e também de caráter social e filantrópico. O Mackenzie tem um grande compromisso com a comunidade e isso se traduz nas atividades desenvolvidas na área de responsabilidade social. Todos os projetos sociais desenvolvidos pela instituição buscam a sustentabilidade e a formação de cidadãos críticos e transformadores da realidade. Para se ter uma idéia do grande alcance de suas ações, entre os anos de 2005 e 2007, tais programas alcançaram mais de 29 mil pessoas; foram prestados cerca de 47 mil atendimentos psicológicos a comunidades carentes e quase 600 mil pessoas foram beneficiadas direta e indiretamente pelo Dia Mackenzie Voluntário.
Juntos, o Colégio e a Universidade, reúnem hoje mais de 40 mil alunos, em todas as suas unidades: São Paulo, Tamboré, Brasília, Recife e, mais recentemente, também em Campinas e no Rio de Janeiro, por meio da Faculdade Moraes Júnior/Mackenzie Rio. Ao todo, a Universidade Presbiteriana Mackenzie oferece os seguintes cursos de graduação: Administração de Empresas, Administração de Empresas/Comércio Exterior, Arquitetura e Urbanismo, Ciência da Computação, Ciências Biológicas, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Desenho Industrial, Direito, Educação Física, Engenharia Civil, Engenharia de Materiais, Engenharia de Produção, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica/Mecatrônica, Farmácia, Fisioterapia, Filosofia, Jornalismo, Letras (Habilitação Português/Inglês ou Português/Espanhol), Matemática/Física, Nutrição, Pedagogia, Propaganda, Publicidade e Criação, Psicologia, Química, Sistemas de Informação, Tecnologia Elétrica e Teologia.
O Mackenzie foi classificado como a 2ª melhor universidade não-pública do Estado de São Paulo e a 5ª melhor do País (IGC/MEC – set/2008) e essa excelente classificação se deve muito à sua crescente produção acadêmica e contribuição para o desenvolvimento científico do País. Hoje são oferecidos sete programas de Doutorado nas áreas de Administração de Empresas, Arquitetura e Urbanismo, Direito Político e Econômico, Distúrbios do Desenvolvimento, Educação, Arte e História da Cultura, Engenharia Elétrica e Letras; e dez cursos de Mestrado, nas áreas de Ciências da Religião, Controladoria Empresarial, Engenharia de Materiais, além de todas as outras já compreendidas pelos cursos de Doutorado. A Universidade conta com mais de 40 cursos de especialização (Lato Sensu) e prepara cursos In Company adequados às necessidades de cada empresa. Como forma de incentivar a produção acadêmica, o Mackenzie instituiu o MACKPESQUISA, uma agência de fomento própria, criada para incentivar a prática da investigação pura ou aplicada, e também o PIBIC, um programa de estímulo e custeio de bolsas de iniciação científica para alunos da graduação, credenciado e compatível com as rigorosas exigências do CNPq.
O esporte sempre fez parte da história do Mackenzie. No início do século XX, os mackenzistas já se destacavam em atividades esportivas, sendo protagonistas da primeira partida oficial de futebol do Estado de São Paulo e pioneiros na prática do basquete no País. No final dos anos 1960, venceram duas vezes o Torneio Sul-Americano de Voleibol Colegial e, em 1970, conquistaram o primeiro Torneio Escolar de Basquete. Ao longo dos anos essa tradição foi ganhando força, com a criação das Atléticas e o patrocínio de atletas, como os saltadores olímpicos César Castro e Hugo Parisi e, mais recentemente, do time de vôlei feminino do Esporte Clube Pinheiros, que formou, em 2008, o time Pinheiros/Mackenzie.
O Mackenzie proporciona atividades de extensão universitária que oferecem programas de educação continuada nas mais diversas áreas do conhecimento. Alguns deles, direcionados a estudantes universitários e profissionais, outros totalmente abertos à comunidade, como é o caso da Universidade Aberta do Tempo Útil (UATU), disponível a todas as pessoas da comunidade interessadas em participar de um programa de educação continuada e que tem por objetivo oferecer experiências educacionais voltadas à atualização, à capacitação e às novas competências. O Mackenzie mantém ainda várias outras atividades de apoio à comunidade, como os cursos de extensão, Ouvidoria, convênio com o ProUni, programas como Para Sempre Mackenzista, MackVIDA, Educação de Jovens e Adultos (EJA), Clínica de Psicologia e Trote Solidário, realização de congressos, simpósios, jornadas, seminários, colóquios, eventos esportivos, além de vários convênios que visam beneficiar toda a comunidade, como o Juizado Especial Cível e o Juizado Especial da Empresa de Pequeno Porte e Microempresa.
Como entidade confessional, o Mackenzie procura oferecer ensino de qualidade em ambiente de fé cristã reformada. Atualmente desenvolve serviços oferecidos à sua comunidade que vão desde a prevenção contra o álcool e consumo de drogas até o atendimento espiritual, sempre respeitando a consciência de cada um. A Capelania Mackenzie auxilia os alunos que desejam reunir-se voluntariamente em grupos para estudos cristãos e promove eventos anuais de grande porte, enfocando temas atuais à luz dos valores evangélicos.

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

2 Respostas para “MANIFESTO PRESBITERIANO SOBRE LEI DA HOMOFOBIA

  1. This might be this blog’s greatest blog post I have ever seen..

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s